Por Marcus Rizzo, especialista em franquias

Desconfie sempre de todas as informações de todas as franquias, sem exceção! Mas, ao mesmo tempo, nem pense que as informações das franquias são desonestas! Quero apenas reafirmar que você deve aferir, conferir e avaliar se o negócio atende sua expectativa.

A grande vantagem das franquias, quando comparadas com outros negócios, é que as informações são obrigatoriamente fornecidas para que você possa investigar e avaliar antes de investir. Então, aproveite sua desconfiança e vá ao campo de batalha para comprovar ou não a sua desconfiança.

 

Onde encontrar informações?

A primeira informação sobre faturamento que você recebe é através da internet, revistas ou outros meios, e o objetivo é apenas atrair ou informar preliminarmente candidatos.

O próximo passo é procurar o franqueador, com quem poderá ter as explicações sobre como aquele faturamento ocorre, e em que condições. Também peça a COF, a Circular de Oferta de Franquias, que certamente terá todas estas informações, e já aproveite para comparar aquilo que lhe foi dito com aquilo que está escrito: bate?

Algumas boas franquias vão incentivá-lo a fazer um “test-drive”, experimentando e operando o negócio por um ou mais dias. Isso permitirá ter uma melhor noção sobre o negócio e informações mais consistentes, sob a sua ótica.

É fundamental, em qualquer situação, que você converse com pelo menos dois franqueados novos, com até dois anos no negócio, e com outros dois mais experientes, com mais de dois anos na operação. Também seria ideal se conseguir conversar com aqueles que saíram do negócio (a listagem completa de todos eles deve estar na COF).

Subtraia o lado emocional das informações, especialmente daqueles ex-franqueados, e concentre sua avaliação nas informações objetivas e, em especial, naquelas que respondem as suas dúvidas e ansiedades.

Somente com franquias, depois de investigar e avaliar, é possível responder aquela pergunta: “Você compraria um carro usado dele, o franqueador?”.

 

https://exame.abril.com.br/pme/quando-desconfiar-da-expectativa-de-faturamento-de-uma-franquia/