Escolha uma Página

Normalmente, as grandes regras são as que ajudam a operar os Conselhos. O primeiro passo para organizar um Conselho, é desenvolver e implantar um regulamento, especificando o nome, objetivos, proposições, organização e procedimentos operacionais. Lembre-se: o regulamento proporciona ao Conselho caráter e estrutura para conduzir adequadamente os problemas.

Alguns Conselhos possuem regulamentos complexos, com artigos escritos com precisão e linguagem legal, e cobrem, virtualmente, toda a possibilidade de contingências que poderiam ocorrer dentro de um Conselho. Outros são curtos, sem formalidades, com pequenos artigos de proposições para os Conselhos, número de reuniões, membros associados, etc..

As regras incluídas em um Conselho de Franqueados cobrem, geralmente, as questões:

• Quem pode pertencer ao Conselho;
• Quem pode comandar;
• Quando acontecem os encontros;
• Quem paga as despesas;
• Quem conduz as reuniões;
• Quem necessita estar presente para ter quorum, e;
• Quem tem a responsabilidade de fazer, efetivamente, o trabalho interno.

É recomendável que um Conselho tenha alguma formalização, detalhada ou simples. Nunca defina um jogo de regras (como, por exemplo, estatutos com registros em cartório) que acabem transformando a sistematização de funcionamento na principal estrela da reunião.

Os Conselhos, em geral, reúnem-se com o franqueador a cada trimestre ou semestre. As informações chegam dos grupos de franqueados cobrindo, tipicamente, assuntos como produtos, equipamentos, propaganda, operações, políticas corporativas além de comunicações entre franqueadores e franqueados.